O PETRÓLEO É NOSSO

O petróleo é nosso dizia o projeto. A frase de impacto foi criada para dizer que duas coisas seriam base de nossa cultura petroleira.

  • Nós definimos o preço;
  • Faremos o país ser autossuficiente!

Mas porque estamos até hoje estagnados? Politicamente nós tínhamos dependência total dos Estados Unidos da América no quesito petróleo e na época havia domínio norte americano do petróleo extraído aqui.

NÓS DEFINIMOS O PREÇO

Sim, a ideia era boa! Definirmos o preço seria ótimo, mas como tudo na política Brasileira na teoria pode funcionar mas na prática é uma vergonha.

Continuamos até hoje dependendo de preços externos. E pensar que algo que a imprensa não divulgou e não divulga com tanta força é que o modelo era meio socialista em dizer que era em DEFESA DO MONOPÓLIO ESTATAL.

Era em defesa do monopólio estatal.

FAREMOS O PAÍS AUTOSSUFICIENTE

Sim no projeto o petróleo é nosso diria que o país seria autossuficiente na produção de petróleo e o presidente brasileiro muito famoso chamado Lula também mentiu falando sobre isso.

Na realidade temos produção suficiente para consumo próprio e para exportar as sobras e obter um lucro alto encima disto e não é anunciar autossuficiência que o torna.

SOLUÇÃO

Para realmente tornar o petróleo é nosso real, precisamos fazer algumas melhorias.

Cito algo baseado na lei para definir a real solução.

A lei 4.425/1964 que foi extinta tratava disso inicialmente e genericamente fora precedida pela lei 313/1948 mas que davam muita abertura.

A lei 4.425/1964 foi revogada pelo Decreto Lei 1038/1969 que tratava mais precisamente do assunto mineral.

Como todas as leis houveram muitas alterações, ficando as mais fortes em 1986, depois com inclusões em 1991 e ao longo dos anos adicionados alguns termos, mas o principal é o que trata de IMPOSTO ÚNICO SOBRE MINERAIS e vou usar como base (sem posteriores alterações pois houve apenas retificações).

Diz o seguinte:

“Art 1º O Imposto Único sobre Minerais incide uma só vez sobre uma das operações de extração, tratamento, circulação, distribuição, exportação e consumo de substâncias minerais originárias do País, constantes da lista anexa a este Regulamento (Decreto-lei nº 1.038/69, arts. 1º e 2º).”

A maior incidência de valores altos no petróleo Brasileiro inicia pelas brechas que autorizam de forma absurda que haja o imposto inicial sobre a extração, imposto sobre a refinaria, imposto sobre o transporte e imposto na distribuição.

Poucos Brasileiros sabem que se pegarem cupom fiscal ou nota fiscal registrado em seu CPF na hora de abastecer, que podem no imposto de renda receber de volta estes impostos pagos.

Como esses passos até a bomba de abastecimento são interligados, deveriam ser todos isentos de imposto para cumprir a lei em seu maior rigor.

Então precisamos de alguns passos para tornar viável, sem falar sobre divisão de estados que ficará para o próximo artigo.

  • Isentar impostos em funções colaterais da distribuição do petróleo;
  • Fabricar refinarias de médio porte em estados regionalizados (enviando petróleo através de oleodutos);
  • Definir preço interno do petróleo para refinarias que não sejam estatais (ampla concorrência) sem base no dólar;
  • Tornar o uso do gás natural como prioridade.

 

É difícil fazer isto? Não, mas a burocracia torna!

 

Desburocratizar torna realmente o petróleo nosso e por causa disso nunca mais precisaríamos ver carros 1.0, pelados e sem até ar-condicionado para um país semi-tropical (pra não falar de clima infernal) rodando por aí.

 

Este artigo é feito no modelo copyleft, copie, edit, compartilhe.

Quer baixar este artigo em PDF? Clica aqui.

Leia também:

IMPORTAR CULTURA PARA EXPORTAR RIQUEZAS

AMENIZAR A FOME NO BRASIL

 

Tecnologia – O Preço de ser Brasileiro

Fala meu povo, tudo bem? Um ano após fazer o último post estou de volta! Bem, não existe desculpa, apenas relaxei e não fiz mais nada, peço desculpas!
Irei mudar um tanto o que digo no meu blog, além de programação e tudo o mais, irei falar sobre outras tecnologias, política, meus pensamentos e tal.

O assunto de hoje é um tanto difícil de falar, afinal nós Brasileiros estamos acostumados a “tomar ferro” e ficarmos calados.

Pelo título você já imagina o que pode ser, eu fiz um cálculo rápido hoje 26 de fevereiro de 2012 e cheguei a uma simples conclusão, devemos fazer algo urgente, estamos sendo usurpados (para não dizer roubados) pelo Governo que nos rege com mãos de ferro.

Vivemos numa “democracia” onde nos obrigam a nos alistar, votar e ao criarem leis apenas consentimos, como o projeto do Senado Nº 170/06 que visa “acabar com jogos violentos” !

Vamos ao que nós Brasileiros costumamos aceitar, se fosse comprar via BUY IT NOW no eBAY os seguintes componentes que daria um computador respeitável para eu jogar jogos como Battefield 3 e Call of Duty Modern Warfare 3 no máximo pagaria o seguinte!

U.S.A eBay:

Placa de Video ATI HD 5970 2GB – U$$ 479,99

Placa Mãe Asus P9X79 PRO – U$$ 307,99

Memória Patriot 1600Mhz 4GB x 4 – U$$ 99,98

Fonte Gaming 140mm 1000W – U$$ 54,99

Case Black ATX MID TOWER – U$$ 119,99

HD SSD 160GB Intel – U$$ 159,99

Totalizando: U$$ 1.222,93

BR Mercado Livre (Nem sabendo a procedência, porque no Brasil há muitos produtos no ML que são trazidos do Paraguai ilegalmente (ps: responsabilidade dos vendedores e não do Mercado Livre)):

Placa de Video ATI HD 5970 2GB – R$ 1.350,00

Placa Mãe Asus P9X79 PRO – R$ 898,00

Memória Patriot 1600Mhz 4GB x 4 – R$ 458,00

Fonte Gaming 140mm 1000W – R$ 499,00

Case Black ATX MID TOWER – R$ 585,00

HD SSD 160GB Intel – R$ 999,00

Totalizando: R$ 4789,00

Agora vamos a duas probabilidades que pensei:

 

PROBABILIDADE 01 – Posso importar os produtos por conta própria pagando U$$ 1.222,93 x 1,70 (cotação do dólar) = R$ 2.078,98 + 60% (taxa de importação) = R$ 3.326,36.

O computador sendo importado sairia por “meros” R$ 3.326,36.

PROBABILIDADE 02 – Posso continuar calado e pagar os R$ 4.789,00 e pagar uma sobretaxa de imposto que somando porque o produto não é fabricado no Brasil de 43.972% (ARREDONDANDO PARA 43% ).

Enquanto isto gastam bilhões para reformar e fazer estádios para “COPA DO MUNDO DE FUTEBOL” e ainda ISENTAM as empresas que os fazem.

Se você não concorda, faça sua parte, divulgue, aqui coloco este post sob licença CREATIVE COMMONS, compartilhe, altere e divulgue como quiser, mas faça ele ser visto.

Esta é apenas uma forma de saber que pagamos caro apenas para morar na TERRA BRASILIS.

 

Obrigado.